Papa Francisco, Falso Profeta?

É difícil encontrar quem não goste do Papa Francisco. Ele é bonachão, gente boa, humilde, amigo dos pobres, não gosta de riquezas e opulências, não implica com os homossexuais e nem com os abortistas. Dizem até que ele vai andar de fusca, e como se pode ver na foto acima, gosta de coisas simples. Maravilha, não é mesmo?

E se eu lhe disser que o Papa Francisco veio para destruir a igreja católica e blasfemar contra Cristo, você acreditaria? É verdade, e é como católico que eu lhe digo isso.

Francisco é o representante da maçonaria infiltrada na igreja, que finalmente conseguiu eleger o seu papa. É duro dizer, mas o demônio chegou ao papado. Ele é a besta do Apocalipse 13-11 ”que se veste como um cordeiro (símbolo de Cristo), mas fala como um dragão” (blasfema contra Deus).

Você lembra o que Paulo VI disse? “A fumaça de satanás de infiltrou na igreja”. E agora chegou ao seu vértice.

João Paulo I foi assassinado com apenas trinta dias de pontificado, lembra? Tentaram matar João Paulo II logo no início de seu pontificado com um tiro à queima roupa, lembra? E Bento XVI, coitado, foi tão perseguido que acabou tendo que renunciar, como se fosse um incompetente. Escândalos e mais escândalos estouraram em seu pontificado. Até seus documentos pessoais foram roubados, para poder chantageá-lo.

E agora com Francisco não existem mais escândalos sexuais nem financeiros. A mídia, controlada pela maçonaria o está endeusando, fazendo dele um ídolo, um líder inovador, um mito. Reis, rainhas e governantes têm vindo beijar o seu anel, em reverência a “sua santidade”. Que mudança brusca, não é mesmo?

Mas o que deseja Francisco? É simples: a luta entre Deus e o diabo continua. Como o diabo sabe que nada pode contra Deus, passar um tempinho sentado na cadeira de Pedro já está bom, pois de lá ele pode “abrir a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os habitantes do céu” (Apoc. 13-6).

Outra missão de Francisco é facilitar o surgimento do anticristo, pois ele trabalha segundo as ordens deste, pois está sob sua vigilância, como vemos em Apocalipse 13-12. Foi primeiro preciso “ferir o pastor” (Zacarias 13,7), ou seja tirar Bento XVI, para que as ovelhas fossem dispersas (os fies). A partir de agora haverá uma grande confusão e divisão dentro da igreja católica e no mundo todo, e no meio desta confusão surge o anticristo apoiado por Francisco, que aliás já declarou que o microchip (marca da besta) é benéfico para a humanidade, não existindo na Bíblia nada que impeça o seu uso (será que Francisco já leu o Apocalipse alguma vez?)

Outra missão suja de Francisco: promover o aborto e o homossexualismo no mundo. Estes dois pecados são abominações e dão poder à satanás. É por isso que tem dinheiro à vontade para promover parada gay no mundo todo e para praticar o aborto. No Brasil o próprio governo paga o médico para a mulher que queira abortar. Recentemente Francisco afirmou que os católicos são “obcecados” com o aborto e o homossexualismo. Sublimarmente ele disse: “esqueçam aborto e homossexualismo”. Aliás, quando esteve no Brasil Francisco não fez nada para evitar o aborto, cuja lei já estava pronta, e que agora foi assinada por Dilma.

Francisco está usando mensagens sublimares, para blasfemar contra a igreja, para ser mais claro, para avacalhar mesmo com ela.

Quando perguntado pela repórter o que achava do lobby gay dentro do vaticano, Francisco respondeu: “ser gay não tem problema”. E deu uma grande pausa. E depois continuou: “o problema é o lobby gay”.

A mensagem sublimarmente passada: o homossexualismo está liberado. Resultado: explosão do homossexualismo no mundo, tendo sido Francisco eleito o “homem do ano”, pela maior revista gay dos estados unidos. Eu já vi, na missa, vários casais gays se acariciando como se fosse a coisa mais normal do mundo. E ninguém pode falar nada, pois Francisco liberou, mesmo que sublimarmente.

Mas o pior de tudo é que Francisco está atentando contra o sacrifício de Cristo na Cruz. A blasfêmia maior de todas é a de negar o culto devido só a Deus para dá-lo às criaturas e ao próprio satanás.

Cristo derramou seu sangue na cruz para nos salvar. Foi para pagar o pecado de Adão e nos reconduzir ao Pai que Cristo se sacrificou por nós.

Agora, Francisco está anulando o sacrifício de Cristo. Recentemente ele disse: “não é preciso converter ninguém. Ajude o pobre e vá embora”.

Esta afirmação pode parecer bonita e caridosa, porém, ela elimina o sacrifício de Cristo.

Ajudar o pobre, o menor abandonado, o doente, a viúva desamparada e todos aqueles que precisam, é uma conseqüência do amor à Deus. Se amo à Deus, também amo ao meu próximo, e consequentemente o ajudo naquilo que ele precisa. Enquanto esteve na terra, Cristo ajudou intensamente os necessitados. Ajudar ao próximo é uma excelente atitude, que vai ajudar no nosso julgamento diante do Pai, pois “seremos julgados pelas nossas obras” (Rom 2-6).

Mas veja bem, o que salva não é a caridade. Jesus quando enviou os doze apóstolos disse: “Ide ao mundo e pregai o evangelho à toda criatura da terra. Aquele que crer e for batizado, será salvo, mas quem não crer será condenado” (Marcos 16-16).

Cuidado, você pode passar a vida toda fazendo caridade e ir para o inferno.

E é isso que o papa Francisco quer, lhe levar para o inferno. Ele quer tirar Cristo do centro e colocar os pobres, mas pobre não salva ninguém, quem salva é Cristo.

Outra armação pesada de Francisco: “todas as religiões levam a Deus”. Parece bonito não é mesmo? Assim sendo, você pode ir na macumba, que lá você irá encontrar a Deus também.

Mas pense nisto: só Cristo morreu na cruz, logo, o caminho para o céu, é somente através dele. Você já viu algum Buda crucificado? Maomé foi pra cruz? E Alan Kardec, passou por lá? Veja o que disse o próprio Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida;ninguém vem ao Pai senão por mim (João 14,6).

Repetindo o que disse Jesus:” Ninguém vem ao pai senão por mim”.

Cuidado: quando Francisco anunciar a criação da igreja ecumênica mundial, unindo todas as religiões, não caia na lábia dele. O que ele quer é lhe afastar de Cristo e levá-lo à Satanás.

Aqui novamente Francisco está querendo lhe levar para o inferno. Siga um caminho diferente ao de Cristo e você vai ver onde vai parar.

Aliás, recentemente Francisco disse que o inferno não existe mais. O que ele quer, é que você não creia mais na existência do inferno, para lhe mandar para lá.

“Roma perderá a fé, e converter-se-á na sede do anticristo". Sabe quem disse isto? Parece coisa de fanático, não é mesmo? Mas esta afirmação é de Maria, mãe de Jesus e nossa, em La salette, França em 1846, aparição reconhecida pela igreja. Veja a mensagem completa (http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/366/Os-Segredos-de-La-Salette), você vai se surpreender.

Na verdade, a partir de La Salette, Maria antecipou o que iria acontecer no mundo. Em Fátima, Portugal, em 1917, Maria disse que o demônio se infiltraria até o vértice na igreja, além de ter previsto o fim da primeira guerra, a expansão do comunismo e o início da segunda guerra. Acredita-se que o fato do demônio ter chegado ao papado, faça parte do terceiro segredo de Fátima, que na verdade não foi divulgado.

Em Akita, Japão em 1973 Nossa Senhora disse: "O Diabo se infiltrará até mesmo na Igreja de tal um modo que haverá cardeais contra cardeais, e bispos contra bispos. Serão desprezados os padres que me veneram e terão opositores em todos os lugares. Haverá vandalismo nas Igrejas e altares. A Igreja estará cercada de asseclas do demônio que conduzirá muitos padres a lhe consagrar a alma e abandonar o serviço do Senhor".

Eu já vi dois padres, em uma emissora católica, em rede nacional, incentivar o casamento civil gay, e ainda citam as encíclicas do papa Francisco para justificar tal abominação. O que os padres não dizem, é que os afeminados vão para o inferno, pois “não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus” (1Cor 6, 9-10), e também Apoc 21.8: Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte. Se você ler as mensagens marianas como La Salette, Akita, Fátima, Lourdes e outras, vai se surpreender com o que Maria tem dito. O problema é que Deus e sua mãe foram esquecidos por esta geração.

Assim sendo, o aviso foi dado. Muita coisa ainda vai acontecer daqui para frente. Fique atento pois Cristo realmente está voltando para instalar seu definitivo reino de amor. Não fique de fora.

Movimento de Resistência Católica Viva Bento XVI

Obs: Leia as postagens anteriores clicando em "Postagens Mais Antigas", no final do Blog ou "LEIA ARTIGOS ANTERIORES" e escolha o mês, abaixo.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

PAPA FRANCISCO QUER CRIAR UMA IGREJA SATÂNICA. VEJAS AS DIFERENÇAS COM A VERDADEIRA IGREJA CATÓLICA.


Por Juan Suárez Falcó
Leonardo Castellani disse que, enquanto o trigo e o joio crescem, eles são indistinguíveis e que, apenas no final, quando a colheita está próxima, eles diferem claramente. A colheita deve ser próxima (Mt 13,39), porque o joio é mais arrogante do que nunca e abertamente mostrado acima do trigo. Porque a apostasia, que vem do topo da Igreja, alimenta-a e permanece, arrogante, levantando a cabeça contra Deus.
Enquanto JPII ou BXVI reinavam, este joio estava escondido dentro da Igreja. Agora, Deus consentiu que um falso profeta ocupe o trono de Pedro para que, como flautista de Hamelin, tire todos os ratos das casas e dance alegremente ao som da heresia que soa. Porque o diabo, fazendo o mal que ele quer, não pode deixar de fazer o bem que ele não quer, e finalmente serve a Deus em última análise.
Está cada vez mais claro que o cisma tantas vezes profetizado pela Virgem em suas aparições ou por São Francisco de Assis em si está muito próximo. Um cisma é sempre uma tragédia, mas Deus permite que eles purifiquem sua Igreja, para que a parte saudável enfrente o erro e o combata e, assim, seja fortalecida: esse sempre foi o caso e esse será o último grande cisma, o maior de todos. Porque a unidade é apenas um valor quando está na Verdade, porque quando o erro e a verdade coexistem e a confusão faz com que muitas almas se percam, o cisma é preferível a uma falsa unidade, de modo que a verdade prevaleça e um descanso fiel Perviva e não ser sufocado pelo joio.
Mas, atenção! ... Isto não será um cisma como os muitos que a Igreja Católica sofreu em seus dois mil anos de história. Será o último, e será um cisma invertido: até agora, foi o Papa, reunido a seus fiéis cardeais, que expulsaram da Igreja e excomungaram aqueles que persistiram em erro pelos cismáticos. Agora, aquele que ocupa a sede de Pedro não é um verdadeiro papa, mas um assalariado (da franco-maçonaria) que pulou a cerca do rebanho e que não se importa com as ovelhas. Ele é um lobo disfarçado de pastor, um usurpador, colocado ali para liquidar a Igreja, se isso fosse possível.
Agora será o falso profeta que excomungar o descanso fiel, os poucos cardeais, bispos, sacerdotes e leigos que não se submetem ao seu magistério envenenado (Amoris Laetitia na cabeça). A grande maioria, por respeito humano, por covardia ou por condescender com pecado e erro, apoiará Bergoglio e apenas um remanescente fiel o enfrentará. Mas essa excomunhão não será válida, porque não é ditada pelo verdadeiro Papa, Bento XVI, que é o único que pode amarrar e soltar na Igreja.
A propósito, hoje sabemos que a BXVI se reuniu com Monsenhor Melina para apoiá-lo após ser demitido por Bergoglio-Paglia do Instituto João Paulo II. E que alguns dias atrás ele estava em Castelgandolfo, como costumava fazer no verão. Como podemos ver, o papa reinante continua a exercer o petrus munus e ministerium, e ele não se retirou para uma vida de oração anônima, mas desde sua suposta resignação ele continua a estender livros, recebendo cardeais, bispos e padres, concedendo entrevistas e escrevendo, como aquela carta excelente de 19 fólios nos quais ele emendou o ensino deletério de Bergoglio de cima para baixo, antes da Semana Santa.
O grupo Bergoglian sabe que a BXVI não vai calar a boca se no Sínodo da Amazônia eles querem eliminar o celibato, permitir probabilidades virais ou diaconisas de ordem. Eles precisam silenciá-lo. E talvez as notícias logo venham que ele faleceu. Mas na realidade eles o terão amordaçado e escondido. Não acredite neles.
O cisma pode começar em outubro, um mês que o diabo odeia profundamente por ser o mês do rosário, o da Virgen del Pilar e o da mulher vestida de sol (a aparição de 13 de outubro de 1917, em Fátima).
Alguns cardeais fiéis decidiram não calar a boca no Sínodo da Amazônia: Brandmuller, Burke, Muller já estão falando alto e claramente ... Eles não estão dispostos a calarem-se em silêncio no Sínodo da família, o que deu origem àquela Exortação Pós-Sinodal ao contrário a revelação pública como foi Amoris Laetitia, que permite a comunhão àqueles que vivem em adultério, como o próprio Bergoglio foi responsável por afirmar quando publicou no Actae Apostolicae Sedis a carta enviada pelos bispos de Buenos Aires com essa interpretação autêntica, a “única possível ”(sic).
Irmãos, o tempo para o teste virá em breve. Os apóstolos dormem. Apenas alguns, pela graça de Deus, observamos. Vamos nos preparar para o cisma com mais oração, sacramentos e adoração eucarística. Somente aqueles que estão unidos ao Imaculado Coração de Maria resistirão.
Vejamos agora algumas diferenças irreconciliáveis ​​entre as duas Igrejas que agora convivem e são cada vez mais vistas com mais clareza: a cidade de Deus e a cidade do homem, usando as palavras de Santo Agostinho.
A Verdadeira Igreja Católica
1º É a Igreja mariana, que ama a Mãe de Deus com um zelo especial, que reza o rosário diariamente, que a venera nos quatro dogmas já proclamados e que escuta as mensagens e advertências que nos deixou em suas aparições.
A Falsa Igreja Católica - A Igreja que se recusa a dar importância a Maria porque, supostamente, isso nos distancia dos protestantes. A Virgem não aparece: aqueles que acreditam em suas mensagens e em suas aparências têm uma fé imatura.
2ª A Igreja Católica é a única Igreja fundada por Cristo, a única verdadeira.
A Falsa- Todas as denominações Protestantes e Ortodoxas são também Igreja.
3º O verdadeiro ecumenismo é converter protestantes e ortodoxos e trazê-los de volta à Igreja Católica.
A Falsa- Não devemos converter protestantes e ortodoxos porque cada um deles tem uma parte da verdade: a Igreja como um poliedro (sic). Ecumenismo significa unir a qualquer preço e para isso devemos eliminar o conceito de transubstanciação e os dogmas marianos.
4º Extra ecclesiam nulla salus: Cristo é Deus e só Ele salva. Não nos foi dado outro nome debaixo do Céu pelo qual possamos ser salvos. Quem nega sua divindade é anti-Cristo.
A Falsa- Não há que converter judeus, muçulmanos, budistas, hinduístas, etc. Afinal, eles também acreditam em Deus Pai.
5º A misericórdia de Deus só nos é proveitosa quando a aceitamos através da confissão de nossos pecados no confessionário, com dor de nossos pecados e propósito de emenda. Confissões nas quais não há propósito de mudança ou disposição para deixar uma situação de pecado público são inválidas.
A Falsa- Todas as pessoas se salvam. Na melhor das hipóteses, apenas aqueles que exploram as pessoas e os gangsters vão para o inferno.
6º O adultério é um ato intrinsecamente mau (Veritatis Splendor) e, portanto, é um pecado mortal (Lc 16, 18).
A Falsa- O adultério não é um pecado mortal. As circunstâncias devem ser avaliadas e Cristo não é um tirano que impede que uma pessoa divorciada tenha uma segunda chance e mais quando a pessoa divorciada foi abandonada por seu cônjuge.
7º A sodomia é pecado mortal e é um dos pecados que clamam ao céu.
A Falsa- Não é, porque o importante é o amor.
8º Aborto é um ato intrinsecamente mau, é um pecado mortal e envolve excomunhão automática para quem pratica, quem se submete a ele e para quem ajuda ou apóia a mulher que aborta (Canon 1398 CDC).
A Falsa- Depende das circunstâncias. Precisamos entender as mulheres que abortam.
9º Cristo está real e substancialmente presente na Eucaristia, com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.
A Falsa- A Eucaristia é uma mera memória da última ceia do Senhor, uma metáfora. O importante é a comunhão ou unidade das pessoas com elas mesmas na missa.
9º Há que se amar a Deus acima de todas as coisas. Há que se ter amor ao seu próximo como a si mesmo pelo amor de Deus. O amor por Deus nunca compete com o amor pelos homens.
A Falsa- O mais importante é amar os homens e ajudá-los no progresso material. Amar a Deus em demasia nos afasta dos outros. Aqueles que amam a muito a Deus através da adoração, no cuidado da liturgia, etc. Esses são fariseus.
10º Para ser salvo, você tem que guardar os mandamentos de Deus e fazer boas obras. Devemos aderir ao ensinamento da Igreja em sua totalidade.
A Falsa- Você tem que ser "criativo": o importante não é o ensino, mas o amor dos pobres. Aqueles que seguem o ensinamento são fariseus. A única lei de Cristo é amar o próximo. O resto é rigorismo.
11º Celibato sacerdotal é um tesouro para a Igreja.
A Falsa- O celibato é uma lei insuportável e impiedosa.
12º Somente quem aceita o ensinamento da Igreja em plenitude pode receber a comunhão.
A Falsa- Todos podem comungar: Cristo não quer que haja separações entre o bons e os maus.
13º Faltar deliberadamente a missa aos domingos e dias festivos (quando você pode ir) é um pecado mortal.
A Falsa- Faltar a missa aos domingos e dias festivos não é um pecado grave: o importante é amar o próximo. No final da nossa vida, seremos julgados pelo amor, não pelas vezes que fomos à missa.
14º A emigração é uma tragédia e devemos colocar meios para evitá-la. Antes de emigrar, as pessoas têm o direito de não emigrar. Os Estados têm o direito de controlar suas fronteiras e impedir que pessoas indesejáveis entrem em seus países. Devemos distinguir entre refugiados por perseguições religiosas (cristãos perseguidos), que devem acessar nossos países, entre emigrantes econômicos e entre eles e emigrantes por interesse ou invasão. Os Estados devem ajudar na fonte, não favorecer a aceitação indiscriminada dos migrantes. Nós devemos preferivelmente aceitar cristãos.
A Falsa- Devemos permitir a todos que quiserem entrar. Os estados não devem ter fronteiras. A segurança nacional deve estar por trás desta máxima. Essa é a autêntica caridade.
15 A liturgia deve ser séria e cuidadosa porque dá glória a Deus. A maneira como você adora o Senhor determina sua fé (lex orandi, lex credendi).
A Falsa- A liberdade litúrgica e a criatividade são boas. Você tem que tornar as missas agradáveis: neste um bom exemplo são os pentecostais, com muitas canções, palmas e danças. Devemos evitar os silêncios nas missas.
16º O inferno existe. É dogma da fé. Cristo fala muitas vezes sobre ele.
A Falsa- O inferno não existe. É uma metáfora. Todos se salvam. Ou, em qualquer caso, as almas ruins são aniquiladas. Não é na lógica do Evangelho que ninguém seja eternamente condenado.
17º O pecado original existe e deixou ferido a natureza humana e com tendência à concupiscência, embora não tenha eliminado o arbítrio do homem para, com graça, poder fazer o bem.
A Falsa- Não há pecado original, pois o homem vem do macaco. A evolução das espécies (também do homem) é indiscutível.
18º A Bíblia é a Palavra de Deus. Sua primeira interpretação deve ser literal. Deve ser interpretado de acordo com o magistério da Igreja.
A Falsa- A Bíblia deve ser reinterpretada de acordo com os gêneros literários de cada livro. Nunca devemos interpretá-lo literalmente. Milagres não foram milagres porque Cristo não fez mágica. Qualquer elemento sobrenatural deve ser removido e o método crítico-histórico aplicado. Todos devem interpretar a Bíblia de acordo com suas próprias circunstâncias e mentalidades.
19º Para salvar a si mesmo, não é suficiente acreditar em Cristo. Nós devemos fazer boas obras e guardar os mandamentos.
A Falsa- Cristo não pede o impossível: todos que crêem nele são salvos. Sua misericórdia é infinita.
20º Não há situação, por mais dura que seja, que não possa ser superada pela graça de Deus, é por isso que os padres podem viver em castidade, os maridos são fiéis aos esposos e os separados ou aqueles que têm tendências homossexuais podem e devem viver castidade e continência.
A Falsa- Ninguém pode pedir a uma pessoa divorciada que viva em castidade pelo resto de sua vida: isso seria cruel. E pela mesma razão, ninguém pode pedir a um gay que viva em castidade. Ou um padre que é celibatário. Ou para uma pessoa casada que seja sempre fiel ao seu cônjuge.
21º Sexo só é permitido dentro do casamento canônico. Aqueles que vivem em união civil ou em uniões livres estão em pecado mortal.
A Falsa- O importante é o amor: qualquer união é válida porque implica um compromisso. Até mesmo alguns casamentos gays têm virtudes dignas de admiração, como a fidelidade que se têm um pelo outro.
22º A missão da Igreja é salvar almas
A Falsa- A missão do sacerdote é acompanhar a todos em sua vida, sem pedir conversão.
23º Há que missionar para salvar as almas daqueles que não ouviram falar de Deus ou aqueles que estão no erro de outras religiões. Fora da Igreja, somente aqueles que praticam a religião natural inscrita por Deus nos corações de todos os homens são salvos, desde que tenham ignorância invencível e isso é muito difícil quando um povo é pagão ou quando alguém pratica religiões que impõem elementos contrários ao lei natural.
A Falsa- Não tem sentido em missionar para converter todos à Igreja Católica, já que todas as religiões são formas válidas de serem salvas. Até um ateu ou pagão é salvo. Os missionários devem limitar-se a ajudar o desenvolvimento econômico e social das populações para onde são enviados.
24º Somente estando em graça se pode merecer: boas obras feitas sem estar na graça não servem como méritos para serem salvas.
A Falsa- Todas as boas obras salvam. Por exemplo, aqueles que trabalham em uma ONG e fazem coisas boas, mesmo que não acreditem em Cristo ou estejam em graça, merecem sobrenaturalmente.
25º A Eucaristia é o centro e o auge da vida cristã.
A Falsa- O pico e o auge da vida cristã devem ser o homem, o irmão, o próximo. Dar importância à Eucaristia e concebê-la como transubstanciação nos afasta dos protestantes e do ecumenismo.
26º O Papa só é infalível quando, no Concílio Ecumênico, proclama um dogma em matéria de fé ou moral
A Falsa- Tudo o que o papa diz é infalível e deve ser obedecido em tudo, porque o papa nunca erra (aplicável apenas ao atual papa, não aos anteriores).
27º A falsa obediência não é católica: obedecer a uma ordem de um superior que atente contra a fé ou a moral ou que leve ao pecado é pecado em si.
A Falsa- Quem obedece nunca está errado: ele sempre obedece, mesmo as ordens erradas ou contrárias à fé ou à moral, porque o culpado seria o mandante, nunca você.
28º Somente aqueles que estão na graça de Deus podem comungar. Comunhão em pecado mortal é pecado mortal de sacrilégio e quem come o corpo do Senhor indignamente engole sua própria condenação.
A Falsa- Isso é discriminatório: todos devem comungar, pois a misericórdia de Deus é infinita e a Eucaristia é um remédio.
29º A Segunda Vinda do Senhor ou Parousia é um dogma de fé e é íntima (Pio XII ou Paulo VI e a Virgem disseram em uma multidão de aparições aprovadas) e deve ser pregada sobre ele para que os fiéis estejam preparados para o que está por vir: grande apostasia da Igreja, do Anticristo e do falso profeta, grande tribulação e triunfo final do Senhor em Sua Vinda. Devemos discernir os sinais dos tempos e a apostasia que já temos, embora dói. Fechar isso é um grave pecado de omissão porque faz com que os fiéis ignorem essas questões.
A Falsa- Nunca devemos falar de apocalipse ou escatologia, porque isso cria medo entre os fiéis e é de spoilers e pessimistas: a Igreja triunfará por si mesma no mundo e todo o progresso humano é bom. Portanto, falar sobre a segunda vinda de Cristo é inconveniente; ninguém sabe o que significa apocalipse e será, em qualquer caso, em milhares de anos. Melhor calar sobre essas questões.
30º Os verdadeiros profetas sempre foram aqueles que chamaram o povo à conversão antes da atual apostasia. Um bom sacerdote deve agir como um profeta e alertar sobre o pecado mortal e a necessidade de viver na graça para salvar a si mesmo. Especialmente eles devem desmascarar pecados mortais admitidos socialmente, como adultério, sodomia, aborto, contracepção, eutanásia ou impureza. Os falsos profetas são aqueles que falam de um presente e um futuro cor-de-rosa para a Igreja.
A Falsa- Os falsos profetas são os profetas das calamidades. A Igreja está indo muito bem e o que está por vir será ainda melhor. Os fariseus e fundamentalistas são amargos. Os sacerdotes, nas suas homilias, só deveriam falar da infinita misericórdia do Senhor, que já nos salvou com a sua paixão.
31º Sacerdotes e religiosos, como diz o CDC (numerais 284 e 669), devem usar batinas, trajes religiosos ou distintivos eclesiásticos. O sacerdote e os religiosos são consagrados a Deus e devem também se diferenciar fora dos leigos: isso os ajuda a obter mais respeito dos outros, para que qualquer um possa pedir confissão a qualquer momento e que o trato com as mulheres seja mais sério Devem evitar, ainda mais rigorosamente que os leigos, se possível, lugares que possam dar lugar a ocasiões de pecado.
A Falsa- O sacerdote não deve ser distinguido dos leigos. Eles devem fazer tudo o que os leigos fazem e, quanto mais integrados estiverem no mundo, melhor para todos. Os sacerdotes devem ir às praias para descansar e ter o mesmo lazer que os leigos.
32º O bom cristão deve ser sal e fermento: avise os outros sobre a necessidade de conversão para se salvarem e não comparecerem a cerimônias não-cristãs. Se você não pedir a conversão ao seu irmão, Deus lhe pedirá para contar (Mt 18, 15 e Ezeq. 33, 7-9). Mas para fazer isso, você deve primeiro remover o feixe de seus olhos, isto é, sua vida deve ser exemplar, você não pode ser um pecador público e você deve viver na graça de Deus. Não sejas hipócrita.
A Falsa- Um bom cristão deve viver e deixar viver: nada para convencer sodomitas ou divorciados se casaram novamente sobre a necessidade de conversão para se salvar, por exemplo. Isso é um sinal de farisaísmo e hipocrisia.
33º O católico deve levar uma vida coerente com sua fé: ele deve expressar seu credo em público, com caridade, mas com firmeza. Se isso lhe trouxer perseguição, eles serão medalhas que Cristo coloca em seu peito (Mt 5, 10-12). O martírio nunca é insignificante para um católico, embora você não deva procurá-lo porque é uma graça concedida por Deus.
A Falsa- Apenas seja católico entre os católicos e em casa. Em público, você não deve expressar sua fé, porque isso só lhe trará problemas e, ao fazê-lo, você não respeitará a liberdade dos outros ou o secularismo de nossa sociedade.
34º Cristo deve reinar em tudo humano. Um católico não deve obedecer a leis contrárias à sua fé ou moral e, nesses casos, deve exercer objeção de consciência, a qualquer custo.
A Falsa- Vivemos na democracia: devemos aceitar as leis votadas pela soberania popular, mesmo que sejam contrárias à nossa fé. Opor-se a eles não é democrático porque todos nós temos os mesmos direitos.
35º Um bom católico deve frequentar os sacramentos: ir à Missa diária sempre que possível e confessar pelo menos uma vez por mês.
A Falsa- Isso é um sinal do farisaísmo. Aqueles que dizem que amam muito a Deus mais tarde não amam o próximo.
36º O ensinamento de João Paulo II e BXVI é um cerco contra o modernismo e um resumo do ensinamento habitual da Igreja e sua tradição (Veritatis Splendor, Familiaris Consortio, Evangelium Vitae, Redemptoris Mater, Ecclesia de Eucharistia ...
A Falsa- Esses Papas eram uns rígidos. Seu ensinamento é irrealizável e falta de misericórdia pelo rigor. Nós gostamos do ensino atual: Amoris Laetitia ou Laudato Si´.
37º Importância dos sacramentais para lutar contra o diabo: crucifixos, rosários, água benta, etc.
A Falsa- Paparruchas Essas são crenças medievais. O diabo não existe como um ser. É uma metáfora do mal.
38º Cristo realmente ressuscitou. É o evento histórico mais importante da história. Ele apareceu a sua mãe e discípulos por 40 dias e depois subiu ao céu, onde está sentado, com seu corpo glorioso, à direita do Pai.
A Falsa- A ressurreição não foi real: é uma crença humana gerada pela emoção dos apóstolos, pelo desejo que eles tinham de ver Jesus novamente. Cristo ressuscitou nos corações dos fiéis, mas não realmente. A cruz terminou em fracasso. Logo seu túmulo será encontrado.
39º Liberalismo é pecado.
A Falsa- Se deve permitir que todos na democracia tenham sua própria opinião e todos sejam igualmente respeitáveis.
40º Você não pode pertencer ou votar em partidos que apoiam ou exaltam pecados mortais, como aborto, sodomia ou eutanásia.
A Falsa- Se pode ser perfeitamente cristão e pertencer ou votar em qualquer partido político, porque você tem que separar o que é de César do que é de Deus. É suficiente que você não apoie o aborto ou a eutanásia.

domingo, 11 de agosto de 2019

CRISLÃ: PAPA FRANCISCO TRAIDOR PEDE GRANDES REFORMAS TEOLÓGICAS EM ESCOLAS CATÓLICAS PARA PROMOVER A "MISSÃO COMUM" COM O ISLÃ

Papa Francisco pede reformas teológicas nas escolas católicas para promover "missão comum de paz" com o Islã

O papa Francisco fez um apelo ao Chrislam pela reforma dentro da “maneira como a teologia é ensinada nas escolas católicas, dizendo que os estudantes devem aprender sobre o diálogo com o judaísmo eo islamismo” e estabelecer “a relação entre católicos e muçulmanos como irmãos, com uma missão comum de promover a paz”. .

Nós temos lhe mostrado há anos como o Papa Francisco tem trabalhado duas vezes extras para trazer o Islã e os muçulmanos sob a proteção da Cidade do Vaticano e da Igreja Católica. Mostramos-lhe como em fevereiro o papa assinou uma “ declaração universal de fraternidade ” com o grande imã Sheikh Ahmed al-Tayeb, que não incluiu sequer uma única menção ao nome de Jesus Cristo. Temos vindo a mostrar-lhe mais , e mais e mais uma vez como este papa está se formando uma aliança fim dos tempos com o Islã. Este artigo hoje, no entanto, leva esse esforço para um nível totalmente novo.

E ouvi outra voz do céu, dizendo: Sai dela, povo meu, para que não sejais participantes dos seus pecados e para que não recebais as suas pragas. E a luz de uma candeia não mais brilhará em ti; ea voz do noivo e da noiva não mais se ouvirá em ti; porque os teus mercadores foram os grandes da terra; porque pelas tuas feitiçarias todas as nações foram enganadas. E nela se achou o sangue dos profetas e dos santos e de todos os que foram mortos sobre a terra. ” Apocalipse 18: 4,23,24 (KJV)

Era apenas uma questão de tempo até que o Papa Francisco voltasse sua atenção para a criação de um novo currículo escolar católico, que apresentaria o Islã como uma " religião de paz " em vez da ideologia vil e corrupta que realmente é. Cada vez mais, o papa Francisco parece estar realmente profetizado como o Falso Profeta de Apocalipse 13, ou melhor ainda, talvez ele seja o Anticristo. Seja o que for, Jorge Mario Bergoglio é um mentiroso, um enganador e um grande jogador do fim dos tempos, e Chrislam será sua Religião Mundial .
Papa Francisco pede reformas teológicas nas escolas católicas para promover “missão comum de paz” com o Islã, nós que Chrislam

DE JIHAD WATCH: O cristianismo já consiste no Antigo Testamento (Judaísmo) e no Novo Testamento. Na tradição cristã, o Messias já é considerado judeu "da Casa de Davi", aumentando assim o diálogo com o judaísmo está promovendo uma compreensão mais profunda das raízes do cristianismo. Além disso, o diálogo crescente com qualquer grupo religioso é uma coisa boa, uma vez que é baseado em valores mútuos e verdade .

O Islã é muito diferente. Ele ensina que " o mais vil dos animais aos olhos de Deus são aqueles que não creram " (Alcorão 8:55).e por causa de tal doutrina, a lealdade completa ao Islã e a negação de descrentes é fundamental. A unicidade de Deus (Tawhid) e a supremacia da sharia também são fundamentais. No Islã, os verdadeiros muçulmanos devem rejeitar completa e completamente os descrentes e as práticas não islâmicas. Além disso, o mundo está dividido em dois na doutrina islâmica: a Casa da Guerra e a Casa do Islã, onde os muçulmanos devem subjugar a Casa da Guerra. e saliente a jihad contra ela até que se torne a Casa do Islã. Se tais crenças não fossem abundantemente manifestadas hoje, não haveria problema, mas não se passaria um dia sem notícias de abuso e perseguição da supremacia islâmica, de acordo com a doutrina escrita para subjugar e promover o Islã.

O papa está pressionando para que os estudantes católicos aprendam a mentira de que o Islã normativo é uma religião de paz e, portanto, qualquer um que discorde dessa mentira seria considerado "intolerante", oposto ao diálogo e ao pluralismo. É o Islã que é intolerante, supremacista e resistente à diversidade. Se o papa é genuíno em relação ao diálogo, ele deveria apelar mutuamente para que Estados islâmicos e escolas islâmicas (começando pela Universidade Al Azhar no Cairo) estabeleçam e preguem status igual a todos os descrentes, mulheres, gays etc., e promovam diálogos com incrédulos como cristãos, judeus, hindus, budistas etc.

Em sua promoção do Islã , o papa tornou-se " o Grande Xeique Francisco de Al Vaticano " , e está descartando os sofrimentos de cristãos perseguidos, vítimas do terror e dos ataques da jihad. O apelo do papa à reforma dentro da “ maneira como a teologia é ensinada nas escolas católicasÉ uma continuação de seus esforços obstinados que estão subjugando o cristianismo sob o islamismo. Seu pedido de reforma veio “durante um discurso na universidade de teologia administrada por jesuítas em Nápoles. Ele segue seu alcance este ano para o mundo muçulmano com a assinatura de uma declaração conjunta com o imã do Cairo Al Azhar, a sede do aprendizado sunita, estabelecendo a relação entre católicos e muçulmanos como irmãos, com uma missão comum de promover a paz ”, ie. a chamada "paz". Antes da viagem do papa a Marrocos em março, a mídia do Vaticano chegou a abandonar a tradicional insígnia papal. Vaticano News explicou que um novo símbolo especialmente criado - uma cruz e um crescente - "são símbolos do cristianismo e do islamismo que destacam a relação inter-religiosa entre cristãos e muçulmanos". Também em preparação desta viagem o Papa Francisco se encontrou no Vaticano com o Dr. Muhammad Bin Abdul Karim Al-Issa, secretário-geral da Liga Mundial Muçulmana (MWL), um grupo que tem estado ligado ao financiamento do terror da jihad.

Como afirmado por Robert Spencer :


DURANTE A REUNIÃO, AL-ISSA AGRADECEU AO PAPA POR SUAS “POSIÇÕES JUSTAS” SOBRE O QUE ELE CHAMOU DE “FALSAS ALEGAÇÕES QUE LIGAM EXTREMISMO E VIOLÊNCIA AO ISLÔ. EM OUTRAS PALAVRAS, ELE AGRADECEU AO PAPA POR DISSIMULAR A IDEOLOGIA MOTIVADORA DO TERROR DA JIHAD. , QUE SEU GRUPO FOI ACUSADO DE FINANCIAR, E POR DIFAMAR OUTRAS RELIGIÕES EM UM ESFORÇO PARA BRANQUEAR O ISLÃ.

O Grande Imam do Cairo al-Azhar, Ahmed al Tayeb , ampliou sua gratidão e agradeceu ao papa por sua “defesa do Islã contra a acusação de violência e terrorismo”. O cristianismo ainda espera que o papa a defenda contra a violência generalizada islâmica. perseguição.

Em contradição direta com o Papa Francisco, o cardeal Robert Sarah - prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos - chamou seu dever alertar os cristãos ea Europa de que o Islã não é benigno, mas expansionista e ameaça as sociedades livres. Ele afirmou: "Como durante a queda de Roma, as elites estão preocupadas apenas em aumentar o luxo de sua vida diária e os povos estão sendo anestesiados por um entretenimento cada vez mais vulgar ... Os bárbaros já estão dentro da cidade". que agora imigraram mas não se integraram nas sociedades ocidentais.

Enquanto isso, o Papa Francisco promoveu fortemente a migração muçulmana, chamando-a de anticristã para ser contra a imigração de portas abertas. Mas no aviso do Cardeal Sarah: “é uma falsa exegese [interpretação do texto das escrituras] usar a Palavra de Deus para promover a migração. Deus nunca quis essas falhas.

O papa do Islã ocupa o mais alto cargo na Igreja Católica, mas ainda está servindo como um servo enganado, um guia cego; e apesar de seu pontificado sobre acolher "o estranho" enquanto condenava os muros das fronteiras, ele ainda não derrubou seus próprios muros de proteção no Vaticano para abraçar e acolher plenamente aqueles mesmos migrantes e adeptos da ideologia que ele está avançando dentro da Igreja. . CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Rick Warren chama apóstata papa católico romano Francisco “nosso papa”
https://youtu.be/ATZUqLFsTB4

Rick Warren é visto maliciosamente referindo-se ao papa Francisco como “nosso papa”, e depois vai se gabar sobre o ótimo trabalho que está fazendo. Ele quer que você assuma alegremente que, claro, o papa Francisco é a “cabeça espiritual” sobre todo o cristianismo e não simplesmente sobre a corporação católica romana. Ele desliza como se isso fosse o que todos já pensam e acreditam. Isso nada mais é do que condicionamento mental. Um cristão crente na Bíblia, sob nenhuma circunstância, reconheceria que qualquer papa no sistema romano tinha algum tipo de regra sobre eles de qualquer tipo. É assim que Chrislam começou em primeiro lugar. Lembre-se de que lhe falamos sobre Rick Warren e ' A Common Word ', que foi o começo de Chrislam? É por isso que Warren empurra e promove o papa católico, ambos têm o mesmo objetivo de criar o papa Uma religião mundial de Chrislam

terça-feira, 25 de junho de 2019

FRANCISCO: O PAPA QUE SÓ PENSA EM DESTRUIR A IGREJA

Foi por causa de um avanço imprudente que se deu a derrota do exército de Napoleão Bonaparte, em Waterloo, em 1815. Um dos maiores gênios da arte da guerra foi vencido por causa de um aparente progresso.

https://i1.wp.com/envolverde.cartacapital.com.br/wp-content/uploads/papa-francisco-amazonia.jpg?zoom=2

Por FratresInUnum.com
Nestes dias, o Papa Francisco deu um passo importantíssimo para a sua tentativa de reformar (ou deformar) a Igreja Católica. Como noticiamos, a Secretaria Geral do Sínodo dos bispos publicou o Instrumentum laboris, o texto fundamental de trabalho, construído mediante consultas cuidadosamente pilotadas pelo cardeal brasileiro Claudio Hummes.
O texto apresenta a proposta da ordenação de homens casados, mais velhos e índios; sugere a criação de uma nova liturgia que incorpore os elementos indígenas; louva a atuação das Igrejas protestantes na Amazônia e auspicia a invenção de novos ministérios para as mulheres. É o recrutamento da Igreja nas fileiras da revolução tribalista!
A proposta pode parecer caótica, mas obedece a um plano de governo muito bem delineado em Evangelii gaudium, aplicado em Amoris Laetitia e Laudato si, os documentos principais do papa argentino, e agora concretizado num experimento concreto: o sínodo pan-amazônico.
Se as mudanças de Francisco em Vos estis lux mundi e em Sicut mater amabilis colocaram toda a responsabilidade pelos abusos sexuais do clero nas costas dos bispos, o que não foi desapercebido e deixou muitos deles para lá de preocupados, agora, o “avanço” do Papa Bergoglio deixou desconcertados os fieis.
A mídia não tardou em noticiar que o Vaticano está para decidir sobre a ordenação de homens casados e, de repente, muita gente despertou para o fato de que o bispo de Roma está indo “longe demais”.
No caso de Napoleão, a derrota consistiu no exílio na Ilha de Santa Helena, onde morreu em 1821. No caso de Francisco, a derrota não seria nada menos que a perda completa da credibilidade por parte do povo e do clero, pois, embora supremo, o poder do papa não é absoluto. De fato, não pode governar um soberano cuja autoridade seja ignorada. Seria como se, ao posto de um monarca, estivesse um mero ator, cuja encenação fosse encerrada pela desistência do público.
A Providência Divina age por caminhos muito mais altos do que os nossos e, neste sentido, podemos estar diante de uma genuína ação de Deus: um papa que não renunciasse, mas que fosse “renunciado” pela própria imposição dos fatos, exatamente como o rei Saul, quando a unção lhe foi retirada, pois a autoridade já estava sobre o rei Davi.
Um papa não pode usar do poder que tem contra a finalidade para a qual ele foi instituído, nem pode governar contra um povo do qual deveria ser pai. Esta é justamente a diferença entre uma legítima autoridade e uma tirania.
Os bispos e cardeais nunca agirão de motu proprio, mas apenas o farão forçados pelo povo, do qual sua subsistência concreta depende. Aliás, o abuso de poder de Francisco em relação aos bispos e cardeais é enorme: aos primeiros, tratou como coroinhas removíveis de seus ofícios com um decreto; e aos segundos, simplesmente há anos não recebe em colégio, recusando-se a tratá-los como o que são, o senado do romano pontífice.
Temos um papa que manipula as estruturas da Igreja em benefício de suas reformas, completamente à revelia do povo católico, sob o disfarce de uma sinodalidade fingida, tão fingida quanto a sua paternidade sobre a cristandade, à qual não cessa de esforçar-se por transformar em um inferno.
No final das contas, ele mesmo pode se colocar em um inferno, exilando-se voluntariamente num isolamento institucional absurdo, em uma ilha em que terminará por se destruir por completo, sendo que toda a Igreja seguirá um caminho completamente oposto.
Se a lei suprema da Igreja é a salvação das almas, Deus que a instituiu para isso decerto se servirá de todos os recursos para recuperar para si o povo que Francisco tentou cooptar, desviando-o para uma religião totalmente inventada, que perdeu completamente a identidade histórica com o que um dia já foi.
Alguém dizia que Deus permite ao diabo agir com a única condição de que não esconda o rabo. Pois bem… O povo já começou a ver o rabo e, daí, concluirá facilmente onde está o diabo. Há avanços que são apenas o começo do fim e, em nosso caso, temos um papa que já foi longe demais.
Fonte:https://fratresinunum.com/2019/06/24/o-erro-fatal-de-francisco-o-papa-que-foi-longe-demais/
FALSO PAPA FRANCISCO NEGA QUE JESUS TENHA MULTIPLICADO OS PÃES

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/d/db/Brotvermehrungskirche_BW_3-2.JPG/250px-Brotvermehrungskirche_BW_3-2.JPG

Francisco não acredita na multiplicação dos pães de Cristo * e parece querer desfazer o milagre, e de passagem também o fato de que Cristo seja Deus, e propõe uma explicação absurda. Embora cada vez que ele tenha que comentar este Evangelho, ele faz a mesma digressão.

Esse fato recorrente vem da mão de sua mania de regar a realidade da Eucaristia, e não apenas recusando-se a se ajoelhar diante da Presença Real, nos tabernáculos, nas exposições do Stmo. ou nas consagrações, então lembre-se que vindo da Romênia disse:

"Não esperemos que os teólogos cheguem a um acordo sobre a Eucaristia".
Ele estava sinalizando sua disposição de avançar em direção ao intercâmbio eucarístico sem um acordo teológico total (entre outros credos não-católicos)? Isso seria consistente com tudo o demais que está dizendo. Se o que importa é a viagem, não o destino, como ele afirma, por que não compartilhar a comida durante a viagem? Por que esperar até chegarmos?

O Evangelho da multiplicação dos pães (Lucas 9,16) "não menciona a multiplicação como tal", disse Francisco em sua homilia em 23 de junho em Corpus Christi. Segundo ele, ele enfatiza não a multiplicação, mas as palavras "partiram", "deram" e "distribuíram" e, portanto, "o ato de compartilhar" (embora esse conceito nunca seja mencionado no Evangelho).

Francisco continuou a pontificar que Cristo "não transformou cinco pães em cinco mil e depois anunciou:" Vem! Distribua-os! "Pelo contrário, são os cinco pães que nunca se esgotam", sugere ele.

No entanto, o fato de haver sobrado doze cestos de pedaços de pães (Lucas 9,17) implica que houve uma multiplicação. Tantas sobras não podem ser explicadas com a afirmação de que os cinco pães "nunca se esgotam".
en.news/M Ferraz

* (A multiplicação dos pães e dos peixes é um dos milagres de Jesus que, com uma quantidade muito pequena de alimento, foi capaz de alimentar toda uma multidão.
O evento é contado seis vezes nos Evangelhos: os quatro evangelistas descrevem o primeiro, no qual cinco mil homens estão satisfeitos com cinco pães e dois peixes; Mateus, o Apóstolo e Marcos, também relatam o segundo em que quatro mil homens são alimentados com sete pães e "alguns peixes".
Este milagre tem fortes sinais messiânicos, proféticos e litúrgicos; A primeira multiplicação dos pães pode ser vista em quatro textos "paralelos", escritos por cada um dos quatro evangelistas. No Evangelho de Mateus está no capítulo 14, versículos 13 a 21. Em Marcos: capítulo 6.30-44. Em Lucas: capítulo 9, vers. 10-17. Em João: 6.1-15. Wikipedia)

Fonte:https://religionlavozlibre.blogspot.com/2019/06/bergoglio-niega-la-multiplicacion-de.html?

segunda-feira, 24 de junho de 2019

CONFIRMADA PROFECIA DE LA SALETE: O VATICANO DO PAPA FRANCISCO É UM CENTRO DE PROSTITUIÇÃO HOMOSSEXUAL


https://www.churchmilitant.com/images/social_images/2019-6-20_gay_vatican.jpg

por Jules Gomes • ChurchMilitant.com

"Bem-vindo a Sodoma", Don Julius, um confessor na Basílica de São Pedro, diz frédéric Martel, enquanto descreve em detalhes a vida noturna gay do Vaticano.
"Todas as noites os padres têm essas duas opções", diz Julius. "Vaticano 'em' ou Vaticano 'fora'" - o primeiro é o código para sexo com co-religiosos ou jovens seminaristas; a segunda é uma cifra para cruzar em parques públicos, saunas ou na internet para pegar acompanhantes masculinos.

Cardeais e bispos geralmente favorecem a primeira opção cautelosa de cruzar dentro da Igreja. O público em geral não tem consciência da segunda opção de relações homossexuais comerciais que constituem uma opção de longo alcance, escreve o jornalista Frédéric Martel em sua exposição explosiva intitulada No armário do Vaticano: poder, homossexualidade, hipocrisia.

O leitor deve ser alertado para o jornalismo suculento de Martel. Ele é refrescantemente franco sobre suas próprias tendências homossexuais, e seu ateísmo o leva a desprezar a deferência à "Virgem Santa" ou "Sua Santidade" - e é por isso que ele se recusa a capitalizar tais títulos.

"A prevalência da prostituição homossexual entre os clérigos estabelece isso com certeza surpreendente de que o lugar de busca mais valorizado é "ninguém menos que a Praça de São Pedro".

"Felizmente, na França, acreditamos mais na poesia do que na religião", ironiza o filho do laicismo francês (secularismo).

No entanto, mesmo que o jornalismo de Martel faça fronteira com o ativismo gay, sua pesquisa é meticulosa e extensa. Mas, como ele diz, ele "às vezes tem 

que atribuir para ouvir o que poderia ter sido escrito como fato".
A exposição de Martel involuntariamente desmascara a mídia dominante e a narrativa vaticana de pedofilia clerical. O problema, como ChurchMilitant, o arcebispo Carlo Maria Viganò, o relatório de John Jay e outros têm repetidamente identificado, é a predação homossexual ou a efebofilia - sexo com homens jovens pós-púberes.

A prevalência da prostituição homossexual entre os clérigos estabelece isso com assombrosa certeza de que o "lugar de busca mais valorizado" é "ninguém menos que a Praça de São Pedro: o Vaticano é a única verdadeira 'vizinhança gay' de Roma". Três dos sete cardeais criticados por Viganò em seu Testemunho regularmente usam prostitutas masculinas.

Minhas fontes no Vaticano confirmaram o problema de os padres irem às prostitutas, especialmente quando estavam  em Roma para mais estudos. Isso foi há um tempo atrás, e eu assumi que as prostitutas eram mulheres. Não fiz mais perguntas.

Martel interroga os "garotos alugados" contratados por padres homossexuais. O epicentro desta atividade é a Roma Termini, a principal estação ferroviária de Roma, em homenagem às antigas Termas de Diocleciano (latim, thermae), que ficam do outro lado da rua da entrada principal.

"Mohammed", um jovem imigrante tunisiano que defende as políticas de imigração do Papa Francisco, é uma das 60 prostitutas migrantes entrevistadas por Martel para investigar as relações sexuais entre os garotos muçulmanos da Roma Termini e os padres católicos do Vaticano.

"Com os padres, nos damos bem naturalmente", diz Mohammed a Martel. Os "padres homossexuais" adoram árabes e "orientais" e amam esse subproletariado de migrantes, observa Martel.

A legalização da homossexualidade e do casamento entre pessoas do mesmo sexo e a proliferação de bares e saunas gays e aplicativos digitais resultaram no mercado de prostitutas de rua do sexo masculino que secam em Roma. Sacerdotes mantêm esse mercado vivo - porque os mantém anônimos.
Então, como os garotos alugados identificam os homens que estão servindo como padres?

"Você pode dizer de suas cruzes quando se despir", diz Florin, uma prostituta romena. As cruzes são diferentes das cruzes ou medalhas batismais usadas pelos leigos.

Florin revela como os padres lhe pagam para ir de férias com eles.
"Eu fui embora por três dias com um padre. Ele pagou por tudo. Normal." Florin também aponta para a regularidade com que o clero o contrata: "Eles pagam uma espécie de assinatura. E recebem um desconto".

"Eu também tenho uma cruz no pescoço, sou cristão. Cria um vínculo! Eles se sentem mais seguros com um cristão ortodoxo, é reconfortante para eles!", Diz Christian, que é de Brașov, Romênia. sobre João Paulo II, de quem gosto muito, como romeno; ninguém gostou mais daquele papa do que eu. "

Christian diz que os padres levam principalmente prostitutas para um hotel. Christian mostra a Martel a lista de contatos do clero em seu telefone - os números são genuínos; os nomes são provavelmente falsos.

Outra pista, segundo Gaby, de Iaşi, a segunda maior cidade da Romênia, é que o clero "nunca usa linguagem grosseira" e sempre quer ir a hotéis porque não tem casa. Os padres também não querem dormir com os italianos; os migrantes não os denunciam à polícia.

É a "ternura excessiva da parte dos padres", que é uma dádiva e vários padres "sempre querem nos ajudar" e "nos tirar da rua", diz Gaby. Os sacerdotes estão "salvando" seus clientes.

Policiais e carabinieri confirmam o recurso clerical à prostituição homossexual através de incidentes de sacerdotes sendo roubados, seqüestrados, espancados, chantageados, presos e até mesmo assassinados enquanto viajam para alugar garotos. Os padres permanecem em silêncio porque o preço para registrar uma queixa policial seria alto demais.

Fontes policiais também corroboram o relato do jornalista Andrea Pini sobre homossexuais assassinados por prostitutas em seu livro Omocidi (Homicides). O clero está super-representado entre as vítimas, a polícia diz a Martel.

Uma exceção aos prostitutos masculinos migrantes é Francesco Mangiacapra, um estudante de escolta e direito napolitano de alta classe, que está disposto a revelar seu nome verdadeiro.

O banco de dados de Mangiacapra está repleto de padres: "Os padres são a clientela ideal. Eles são leais e pagam bem. Se eu pudesse, trabalharia apenas para os padres. Sempre dou prioridade a eles".

Foi difícil construir essa base de clientes? Começou naturalmente quando os clientes dos sacerdotes o recomendavam a outros padres ou o convidavam para festas onde ele se encontrava com potenciais clientes clérigos.

"Não era uma rede; não eram orgias como as pessoas às vezes pensam. Eles eram apenas padres muito comuns que simplesmente me recomendavam de maneira bastante mundana a outros amigos sacerdotes", comenta ele com desarmonia.

Em 2018, Mangiacapra revelou a vida sexual de 34 sacerdotes em um dossiê de 1.200 páginas usando suas fotografias, gravações em áudio e capturas de tela de suas trocas sexuais com eles. O arquivo Preti gay (padres gays) revelou dezenas de padres celebrando a missa em suas vestimentas e depois despindo-se e realizando atos sexuais via webcam.

"Como regra geral, os padres não têm medo de doenças sexualmente transmissíveis. Eles se sentem intocáveis. Eles estão tão certos de sua posição, de seu poder, que eles não levam esses riscos em consideração, ao contrário de outros clientes, eles não têm senso de realidade. Eles vivem em um mundo sem AIDS".

Mangiacapra enviou o arquivo a Crescenzio Sepe, arcebispo de Nápoles. Suas revelações para a mídia podem ser vistas no YouTube. Apesar disso, ele tem 30 padres regulares no momento; outros a quem ele suspeita serem clérigos e confirma com confiança que os padres se tornaram sua "especialidade".

A parte mais contundente da investigação de Martel sobre prostitutas masculinas são as consequências das doenças sexualmente transmissíveis e da AIDS que afligem o clero gay. As conversas de Martel com os garotos da Roma Termini confirmam que os padres estão entre os clientes menos prudentes quando se trata de atos sexuais.

"Como regra, os padres não têm medo das DSTs. Eles se sentem intocáveis. Eles têm tanta certeza de sua posição, de seu poder, que não levam em conta esses riscos, ao contrário de outros clientes, não têm senso de realidade. Eles vivem em um mundo sem AIDS ", observa Mangiaca.

Estudos corroboraram a proporção significativa de clérigos com AIDS na hierarquia católica. Um estudo norte-americano baseado nos atestados de óbito dos padres católicos concluiu que eles tinham uma taxa de mortalidade relacionada à AIDS quatro vezes maior do que a população em geral.

Outro estudo, baseado no exame de 65 seminaristas romanos no início da década de 1990, mostrou que 38% deles eram soropositivos.
Martel conclui sua investigação sobre a prostituição de clérigos gays com visitas aos hospitais de Roma. Sacerdotes e bispos com DST e aids freqüentam o Instituto Dermatológico San Gallicano, preferindo-o à Policlínica Gemelli, ligada ao Vaticano.

O professor Massimo Giuliani de San Gallicano confirma esta crise: "Os padres são uma das categorias sociais de maior risco e mais difíceis de alcançar em termos de prevenção da AIDS. Falar sobre o risco da AIDS significaria reconhecer que os padres têm homossexualismo." E, obviamente, a Igreja se recusa a participar desse debate. "
"Tudo no mundo é sobre sexo, exceto sexo. Sexo é sobre poder", alegam Oscar Wilde. Contos de homofilia em corredores católicos de poder teriam escandalizado até mesmo Wilde, o poeta homossexual e dramaturgo, que se arrependeu e se converteu ao catolicismo em seu leito de morte.

O Rev. Dr. Jules Gomes, B.A., B.D., M.Th., Ph.D. (Cantab) é jornalista, acadêmico e editor do Rebel Priest (www.julesgomes.com).
Fonte:https://www.churchmilitant.com/news/article/homophilia-in-high-places-you-have-made-rome-a-den-of-rent-boys

terça-feira, 18 de junho de 2019

SÍNODO DA AMAZÔNIA: O PAPA FRANCISCO DÁ O GOLPE FINAL NA IGREJA CATÓLICA.

https://i1.wp.com/www.sinodoamazonico.va/content/sinodoamazonico/pt/documentos/instrumentum-laboris-do-sinodo-amazonico/_jcr_content/article-container/textimage/image.img.png/1560760835526.png?zoom=2

Por FratresInUnum.com
O Papa Francisco não está brincando. Ele realmente quer destruir o catolicismo tal como se conhece atualmente e gestar uma nova religião a partir da estrutura da Igreja Católica. O documento preparatório do Sínodo da Amazônia não deixa margens para dúvida.
instrumentum laboris amazoniaEmbora o que chame imediatamente a atenção seja a solicitação de novas formas de ministério para a Igreja da Amazônia, a raiz da questão é muito mais profunda. O nº 129 do Instrumentum Laboris, de fato, diz que “afirmando que o celibato é uma dádiva para a Igreja, pede-se que, para as áreas mais remotas da região, se estude a possibilidade da ordenação sacerdotal de pessoas idosas, de preferência indígenas, respeitadas e reconhecidas por sua comunidade, mesmo que já tenham uma família constituída e estável, com a finalidade de assegurar os Sacramentos que acompanhem e sustentem a vida cristã”. Trata-se da velha requisição de que se ordene homens casados.
Mas, ufa! Segundo o nosso super ortodoxo ex-núncio, Cardeal Lorenzo Baldisseri, não se trata de um prelúdio do fim: “Tudo que é doutrina permanece intacto. O resto pode-se estudar ou inventar”.
Inventar! Nisso eles são realmente pródigos.
Pois, um pouco antes, no nº. 126, o documento afirma que “constata-se a necessidade de um processo de discernimento em relação aos ritos, símbolos e estilos celebrativos das culturas indígenas em contato com a natureza, os quais devem ser assumidos no ritual litúrgico e sacramental. É necessário prestar atenção para captar o verdadeiro sentido do símbolo que transcende o meramente estético e folclórico, concretamente na iniciação cristã e no matrimônio. Sugere-se que as celebrações sejam festivas, com suas próprias músicas e danças, em línguas e com trajes originários, em comunhão com a natureza e com a comunidade. Uma liturgia que corresponda à sua própria cultura, para poder ser fonte e ápice de sua vida cristã, e ligada às suas lutas, sofrimentos e alegrias”.
A doutrina permanece intacta! O que faremos é apenas uma releitura dela, ressignificando-a completamente a ponto de se inventar uma nova religião. Afinal, não é o que o nº. 138 aprecia nos protestantes que atuam na Amazônia? Para os redatores deste documento naturalista, as seitas “nos mostram outro modo de ser Igreja, onde o povo se sente protagonista, onde os fiéis podem expressar-se livremente, sem censuras, dogmatismos, nem disciplinas rituais”.
Vamos inventar!
Como afirmava Dom Claudio Hummes em sua conferência na PUC-SP, eles querem, de fato, gestar uma Igreja com DNA Amazônico, ecologista, multiculturalista, indígena, tribalista! É disso que se trata.
Chega a ser absurdo que o Papa Francisco, embora escondendo-se sob a máscara sinodal, coloque-se tão flagrantemente em desconexão com o sensus fidei do povo católico. A pressa em demolir a Igreja é tão acelerada que já não consegue mais disfarçar uma fachada de catolicismo.
Alguns papas recentes também foram reformistas, mas eles tinham a preocupação de manter ainda aquela aparência católica que tranquilizava a alma das ovelhas enganadas. Agora, não. É sem anestesia, mesmo!
Mas isto é bom! Aliás, é excelente. Precisava ficar cada dia mais claro quem é Jorge Mario Bergoglio. Os cleaners já não conseguem respostas, pois Francisco os desarma totalmente.
Se não houver conversão, e é pelo que rezamos, Francisco precisa mesmo é escancarar ao máximo o seu desvio. O mais importante é a salvação das almas e a restauração da Igreja. E o fato de que toda esta Babel se torna cada dia mais manifesta aos olhos dos simples fieis será a circunstância de que se servirá a Providência para impelir a reação do povo cristão.
Por enquanto, Deus não intervém porque nós não merecemos. Quanta gente preocupada em disfarçar, em fazer de conta que estamos numa primavera! Nosso Senhor fará alguma coisa apenas quando a situação se tornar tão grave que seja indisfarçável, para que fique muito claro o milagre.
Neste ínterim, a estrutura eclesiástica se perverte cada dia com mais força, a fé é dissolvida no paganismo e a Igreja perece no mais inegável mundanismo. Semana passada, por exemplo, um bispo chileno recém-nomeado teve de renunciar não por ter dito uma heresia, mas porque falou coisas politicamente incorretas. A ditadura da opinião prevalece, invicta, sobre o clero moderno.
Até quando os fieis ficarão calados? Até quando assistirão, omissos, o desmonte da sua religião? Os avisos de Fátima são eloquentes! “O dogma da fé” foi o apelo da Virgem. Quem não curvará sua cabeça diante da impostura?
Fonte: https://fratresinunum.com/2019/06/17/rumo-ao-cisma-lancado-o-documento-preparatorio-do-sinodo-da-amazonia
PAPA FRANCISCO: O FILHO DE LÚCIFER QUE VEIO PARA DESTRUIR A IGREJA E PREPARAR A VINDA DO ANTICRISTO.

Depois de posar ao lado do beiçudo Raoni – cacique “globe-trotter”, pau de cabele1eira do roqueiro Sting em saltitantes viagens internacionais -, o Papa Bergoglio anuncia para outubro próximo uma “Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Região Amazônica”. Boa coisa não vai sair desse convescote no que se refere à integridade da nação brasileira.
Antes de enfocar o tal Encontro, convém mencionar recente estudo divulgado pela “From Rome”, publicação teológica de prestígio internacional, sobre o argentino Jorge Mario Bergoglio. Segundo FR, a leitura precisa do Código do Direito Canônico leva à conclusão inelutável de que Bergoglio é, em todos os sentidos da palavra, um “antipapa”.
Assinala a publicação: “A renúncia do Papa Bento XVI é inválida. Não há outra leitura autêntica do Canon 332 além do fato de que a renúncia ao munus é a condição sine qua non necessária para uma renúncia papal”
A abdicação de Bento deve ser questionada porque a renúncia ao ministerium, na forma das declarações papais de 11 de fevereiro de 2013, avaliada por especialistas em Direito Canônico, não pode significar uma renúncia do munus a partir do Canon 332, 188 etc. Portanto, acentua FR: “O Papa Bento XVI continua sendo o único e verdadeiro Papa da Igreja Católica com todos os poderes e prerrogativas desse cargo”. Segue daí que o Colégio de Cardeais não tem autoridade para se reunir e reeleger um Papa quando houve uma renúncia inválida. “Bergoglio é um usurpador do escritório papal e deve ser punido de acordo com o Canon 1381 por esse crime”. Neste sentido, 40 bispos do Vaticano, onde a resistência às heresias do argentino crescem dia a dia, assinaram documento pedindo sua renúncia imediata.

Sínodo do Vaticano, em outubro, pretende uma ‘força-tarefa’ internacional para retirar a soberania brasileira da nossa Amazônia

Conclui a publicação católica:
“Como Bergoglio nunca teve qualquer autoridade canônica como Papa, todas as suas indicações para a Cúria Romana são nulas e sem efeito”. Portanto, todas as ações tomadas pela Congregação de Religiosos, ou pela Congregação da Doutrina da Fé contra qualquer um, ou as do secretário de Estado em relação a nações como a China, incluindo nomeações de bispos, etc – são todas nulas e vazias.
– Assim, os católicos podem e de fato são obrigados por Divina Fé a insistir para que ele seja expulso do Vaticano como um usurpador – acrescenta a publicação.
Com efeito, significativa parte dos católicos já associa o argentino Bergoglio à figura do Demo. Seu objetivo claro é minar a Igreja por dentro. Distorcendo a verdade religiosa, o argentino verbera que Cristo não é só espírito, mas, sim, um homem como tantos outros. (No raso, tal como os mulçumanos, Bergoglio parece desacreditar da Santíssima Trindade).
No mesmo diapasão, julga que a crucificação de Cristo, ato da redenção humana, “foi um fracasso”. Ademais, cortejando a teoria evolucionista de Darwin, já de há muito desmoralizada no campo científico, avalia Bregoglio que o verdadeiro Deus não tinha poder para criar a terra em seis dias, conforme consagrado no Gênesis.
Por sua vez, em conclave aberto no Vaticano sobre o ateísmo (organizado por um grupo de acadêmicos do Reino Unido) chegou à conclusão, herético, que não será preciso ter crença alguma para ser “moralmente superior”: O pecador não precisa acreditar em Deus para ir para o Céu, “desde que faça o certo a partir dos seus próprios olhos”. Vale concluir: Che Guevara ou Átila, o Flagelo de Deus, que acreditavam fazer o certo a partir dos próprios conceitos, estariam agora nas hostes celestiais, entre liras e lírios.
(Seguramente, por isso, em visita ao Marrocos, ano passado, Bergoglio considerou os muçulmanos como “nossos irmãos” – exatamente no Marrocos, onde foram eliminados, na Batalha de Alcácer-Quibir, em 1578, cerca de 50 mil cristãos, dando início a massacres ininterruptos que, de lá pra cá, exterminaram milhões de católicos.
De início, visto pelos fiéis conscientes como um típico militante da esquerda festiva, Bergoglio, embora negue, ipsis literis, a cartilha da Teologia da Libertação, apostasia cultuada no Brasil pelas figuras de Leonardo Boff e de
Frei Beto (vai com um “t”, só…), este, aliado de Fidel Castro e de sua ditadura sanguinária, mais viva do que nunca na Ilha (faminta) dominada pelo comunismo ateu.
Mas o antipapa tem suas apelações.
Ao pressentir que milhões de católicos tradicionais estão fugindo da teologia perfilada pelo Vaticano, Bergoglio, agraciado com o emblemático brasão da foice e do martelo explorado à exaustão na URSS de Stalin, advertiu aos evadidos que “ter relação pessoal com Cristo fora da Igreja é uma tentação danosa e perigosa”.
Voltando às estripulias de Bergoglio com o “globe-trotter” Raoni, é certo que o tal “Sínodo do Vaticano”, a ocorrer em outubro, terá por objetivo criar uma “força-tarefa” internacional (quem sabe, comandada pelo próprio argentino) para retirar a soberania brasileira da nossa Amazônia – ameaçada, segundo o insaciável establisment europeu, pelo mitológico “efeito estufa”.
Diga-se que o antipapa recebeu o cacique na condição de “adepto do “animismo” – credo segundo o qual as pedras, as árvores e os objetos inanimados têm alma.No frigir dos ovos, um aparato conceitual que une o movimento indigenista ao ambientalismo internacional para promover, a peso de ouro, com suas 200 mil ONGs bem abastecidas, “uma guerra civil de baixa intensidade” e se apossar – pela ocupação – das imensas riquezas da região.
Para completar a obra do politiqueiro (esquerdista) ora hospedado no Vaticano, temos sua carta-resposta aos garranchos enviados por Lula, o prisioneiro mais corrupto do mundo ocidental. Nela, divisamos o spectrum do impostor que só olha o céu para ver se vai chover, pedindo que o Chacal do ABC “não desanime e continue acreditando em Deus”.
Uma burla dessas só no Inferno!
P S – Matteo Salvini, primeiro-ministro italiano que vive sendo sacaneado por Bergoglio porque reza de terço na mão, aconselhou ao antipapa abrir as portas do rico Estado do Vaticano, com centenas de imóveis desocupados, para acolher os contingentes de imigrantes estrangeiros visto que a Itália, em crise, já esgotou sua cota.
Bergoglio, mendaz, deu o calado por resposta.